terça-feira, Outubro 25, 2011

Quando repetir a mentira não é suficiente II

A sequência de notícias chega a ser cômica:

Médico que disse que Chávez viveria dois anos foge da Venezuela
Um médico que disse que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, tem expectativa de vida de apenas dois anos fugiu do país dizendo se sentir ameaçado.

...e logo depois:

Médicos desmentem previsão de que Chávez deve morrer em dois anos
O presidente, teve o seu câncer diagnosticado e tratado cedo. De acordo com os tratamentos complementares, seu estado atual é bastante satisfatório, com um excelente prognóstico,' disse o Dr. Fidel Ramirez, durante uma entrevista coletiva transmitida ao meio-dia.

A escolha do verbo na segunda manchete é um ótimo exemplo de como uma notícia pode trazer implícito um juizo moral enquanto se disfarça de imparcial. Poderia ser 'alegam', 'dizem', 'discordam', 'afirmam', 'negam' ou dezenas de outros, mas não, escolheram 'desmentem'.

O nome do médico que 'desmentiu' deixa a piada mais engraçada. A ficção tem um limite para o ridículo que a vida real parece não ter.

Quando repetir a mentira mil vezes não é suficiente

Economists Quake as Argentina Votes

In a bitter showdown, the 12 consultants are fending off government investigations, accompanied in most cases with fines of 500,000 pesos ($119,000) under an obscure consumer-protection statute called the "commercial loyalty law." Three of the most outspoken consultants have been singled out for additional criminal charges under a financial-speculation law. Their offense, in the eyes of the government, is insisting in press interviews or in their own published reports that Argentina's real inflation rate is between two and three times the official government rate of 9.9% annually.

quinta-feira, Outubro 20, 2011

Discriminar é viver

Ao contrario do mantra socialista, ninguém é igual, todos são diferentes. Cada indivíduo é absolutamente diferente do outro e essa é a grande beleza da humanidade. Gosto - como diz o ditado - é como orifício anal, cada um tem o seu. Gostar ou não de uma pessoa é uma escolha pessoal e cada um tem seus afetos e desafetos. Escolher uma pessoa em detrimento de outra é discriminar e isso não é por si só nenhum problema ético ou moral, é natural.

Infelizmente os socialistas dominam a esfera pública (o que faz sentido, afinal os que acreditam que cada inivíduo deve cuidar da sua vida estão cuidando da sua vida, enquanto os que querem impor suas ideias estão igualmente trabalhando para isso) e as leis que criminalizam a discriminação se multiplicam. Raça, sexo, preferência sexual, e agora até ter ou não uma doença, todos já têm suas leis ou projetos.

A desculpa é que discriminar com base nesses critérios seria injusto. Ao contratar um funcionário, o empresário vai sempre precisar discriminar, um candidato agrada mais que outro, uma escolha tem que ser feita. Afirmar que um empresário deixa de contratar um negro, homosexual ou doente, apenas por ser/estar assim, é chamar o empresário de idiota. É dizer que ele prefere contratar um funcionário pior por um critértio irracional. O mercado tem uma solução pra isso: se o empresário fizer disso uma prática, o concorrente vai contratar o funcionário melhor, vai ter um produto ou serviço melhor e ele vai quebrar. A lei só faz diferença quando a discriminação não era injusta.

O problema desse tipo de lei é que ele transforma os 'protegidos' numa casta superior, uma criança mimada que não pode ser contrariada que sai gritando 'discriminação!', 'cadeia!'. Todos os outros se transformam em reféns da sua vontade com medo de serem acusados do crime de discriminação. Os incompetentes são os grandes beneficiados por esse tipo de lei, os competentes têm sua competência a mostrar e não precisam ser protegidos, os incompetentes têm apenas a cor da pele, a declaração de preferência sexual ou o atestado médico.

terça-feira, Outubro 18, 2011

Going Galt

Venezuelan Diaspora Booms Under Chávez

Waves of white-collar Venezuelans have fled the country's high crime rates, soaring inflation and expanding statist controls, for destinations ranging from Canada to Qatar [...] To be sure, millions of Latin Americans have migrated to the developed world seeking a better life, but until recent years, Venezuelans weren't part of these huddled masses. And the ones who are leaving generally aren't the poor, but rather, middle-class professionals.

quinta-feira, Outubro 13, 2011

Livres para votar Sim

Uma das práticas comuns na União Européia que acho incrivelmente absurdas é realizar novas votações cada vez que alguma medida é rejeitada. É um modelo de democracia interessante: vocês são livres para votar no que quiserem, mas o resultado só é final quando a medida for aprovada.

Aconteceu com o veto irlandês ao Tratado de Lisboa e tudo indica que acontecerá novamente com o veto eslovaco à ampliação do fundo de resgate europeu.

Os petistas gostaram muito do modelo, já estão tentando isso com o Referendo do Desarmamento, devem tentar com a CPMF e assim por diante...

UPDATE: Dito e feito

Meios e fins

Como bom direitista, acredito que as únicas funções que são essencialmente estatais são as de polícia, justiça e exército. Os males inerentes ao Estado continuam presentes na administração dessas funções, mas como são funções monopolistas por natureza é um mal necessário. Um dos principais males da administração estatal é que a quantidade de controles (necessários) tornam as instituições complexas demais e o objetivo acaba sendo eclipsado pela manutenção da própria máquina.

Um exemplo disso, nesse caso com a polícia, foi publicado essa semana, negrito meu:

A ousadia de uma mulher, mantida como refém na madrugada da última segunda-feira (10), ajudou a polícia a impedir um assalto em Campo Grande (MS). Dois homens invadiram a casa da família da vítima, que fica no bairro Jardim Noroeste, e mantiveram a mulher, o marido dela e os dois filhos do casal presos dentro da residência. Mesmo durante a ação, a dona da casa aproveitou um momento de descuido dos assaltantes e conseguiu ligar para a polícia do aparelho celular da filha. Sussurrando, ela informou à atendente do 190 sobre o fato.  "Mesmo diante daquela pressão toda ela conseguiu fazer a ligação. Por outro lado a gente não pode tirar o mérito da atendente do Ciops, que conseguiu captar o endereço e dar crédito à ocorrência e também à ação dos policiais, o que possibilitou a prisão dos indivíduos", disse o tenente que atendeu a ocorrência.
É sutil, mas percebam que o policial considera importante a decisão da atendente que 'deu crédito à ocorrência', ou seja, levou a ligação a sério. Ele está afirmando que é prática comum no atendimento ignorar ligações que não são consideradas críveis. Isso se justificaria pela grande quantidade de trotes recebidos pela polícia. O problema é que seguindo esse raciocínio conclui-se que a polícia optou por ignorar algumas ligações emergenciais verdadeiras - afinal os atendentes são pessoas e, cedo ou tarde, vão errar - em troca de otimizar o seu próprio funcionamento. Não basta estar sendo ameaçado por um bandido armado sem condições de reagir (afinal suas armas foram tiradas pelo Estaburro), você tem que convencer o policial do outro lado da linha de que está falando a verdade, e o tempo não está do seu lado. Para a polícia é uma estatística, para a pessoa que teve a ligação ignorada pode ser questão de vida ou morte.

Isso acontece também na justiça. Já discuti com um juiz conhecido que era um absurdo emitir uma sentença não porque ela era justa, mas porque do contrário aquele caso geraria um atraso no funcionamento da justiça. Tive essa mesma discussão com pelo menos mais um juiz e um par de advogados, ou seja, pessoas que trabalham na máquina, nenhuma delas vê problema nisso. Acham que qualquer coisa que agilize a justiça é válida. Mesmo deixar de fazer Justiça?

Ter o lucro como único e claro objetivo é um benefício da iniciativa privada. Se uma empresa está gerando lucro é porque ela está cumprindo a sua função. Como já dizia Bastiat, o objetivo do padeiro não é colocar pão na sua mesa, o objetivo dele é ter lucro. Sorte a sua. Se a padaria fosse estatal provavelmente faltaria pão (pago antecipadamente com impostos), já as justificativas envolvendo o bom funcionamento da padaria e discursos sobre a importância do pão para a sociedade existiriam aos montes.

quarta-feira, Agosto 24, 2011

Propriedade Privada

Não é que eu não publique comentários com os quais eu não concorde, mas eu publico apenas os que foram escritos com os membros superiores.

quinta-feira, Agosto 11, 2011

segunda-feira, Julho 11, 2011

"É culpa dos imperialistas!"

Quanto tempo vai demorar até que Hugo Chavez acuse os americanos de serem responsáveis pelo seu cancer? Provavelmente atrvés de raios disparados por satélites...

terça-feira, Junho 28, 2011

Vindo de petista, o contrário é verdade

Não há 'nenhuma hipótese' de Lula voltar em 2014, diz Gilberto Carvalho

Já podemos considerar como certa a volta do Apedeuta...

quarta-feira, Junho 22, 2011

Mata mas não estupra

Esperamos que o pedófilo não receba as mesmas regalias que o governo brasileiro deu ao assassino. Nesse caso não há muito o que temer, enquanto o assassino era comunista o pedófilo é americano.

sexta-feira, Junho 10, 2011

Questão de escala

Já pararam pra pensar que Osama bin Laden matou muito mais gente que a ditadura brasileira?

quarta-feira, Junho 08, 2011

O moderado

Palocci cai pela segunda vez. Ele é considerado um dos moderados do PT. Imaginem os radicais...

quarta-feira, Maio 18, 2011

Desenhado

segunda-feira, Fevereiro 28, 2011

Campanha do descarreamento

Ladrões usam carros para assaltar agência bancária no Norte do PR

Já é passada a hora de criar um mecanismo que forneça mais segurança para os cidadãos brasileiros. Carros são perigosos e sua posse por cidadãos comuns é a causa de muitas mortes. Não bastassem os danos causados pela inépcia e displicência de pessoas destreinadas no uso dos veículos (alguns com grande potência) fica aberta a possibilidade para que bandidos roubem os carros e usem-nos para praticar crimes, poderia até dizer-se que são cúmplices dos crimes praticados com instrumentos por eles fornecidos. Faz-se necessária uma campanha do descarreamento.

[ironic mode off]

quinta-feira, Fevereiro 17, 2011

Atlas Shrugged Trailer

quarta-feira, Fevereiro 02, 2011

Parabéns Ayn Rand

Hoje, 2 de Fevereiro, ela estaria fazendo 106 anos.

Não sei se ela estaria feliz por ter acertado grande parte das suas previões, afinal comparar Atlas Shrugged com a situação política e econômica atual é quase que ver o trabalho de um profeta, ou se estaria triste por ninguém ter feito nada para evitar que acontecesse, mesmo tendo a consciência de que, como no livro, o mundo precisa desabar no penhasco para que as pessoas percebam para onde estão indo. Ninguém pode alegar a falta de aviso.

quinta-feira, Janeiro 20, 2011

Recurso natural embaixo da terra não é riqueza

A Coréia do Sul, através de uma parceria com a iniciativa privada vai começar a extrair lítio da água do mar. Enquanto isso a Bolívia ficará sentada em cima de uma das maiores reservas de lítio do mundo, sem extrair de lá benefício algum porque a lei boliviana impede a participação de empresas, principalmente estrangeiras, no processo de extração, argumentando que eles 'roubariam' a riqueza. Que riqueza?

Qualquer produto só se torna uma riqueza a partir do momento que ele é extraido e comercializado. Embaixo da terra não vale nada.

Ellis Wyatt já sabia.

sexta-feira, Janeiro 14, 2011

Arpaio x Dupnik: Quando os fatos dizem quem está certo

Joe Arpaio x Clarence Dupnik
A tragédia de Tucson como qualquer outra tragédia americana foi alvo novamente dos urubus democratas. A tentativa de forçar leis anti-armas sempre que um maluco resolve atirar em alguém me dá sono. Mais uma vez tentam culpar o instrumento e não o autor, mais uma vez ignoram que uma pessoa que desrespeita uma lei (a de não matar) não vai se preocupar em burlar qualquer lei que limite o acesso a um instrumento, ou simplesmente trocar de instrumento. Mas não é disso que quero falar aqui.

Uma figura que ficou famosa em meio ao caos foi o xerife Clarence Dupnik. O democrata não demorou a fazer da papagaiada da grande mídia americana sua linha principal de 'investigação'. Culpou o Tea Party, culpou Sarah Palin e culpou Rush Limbaugh. Nenhuma palavra sobre Jared Loughner, que era conhecido por Dupnik, inclusive quanto a ameaças de morte feitas por Loughner e que ficaram engavetadas.

A Time fez uma reportagem em que comparava o democrata Dupnik ao republicano Joe Arpaio (conhecido aqui no Brasil e no mundo por sua 'metodologia' dura contra o crime e por obrigar os presos a usar cuecas rosa). Sendo descaradamente democrata a Time obviamente fez um artigo favorável a Dupnik, deve ter dado trabalho. O mais interessante em tudo foi a comparação feita por um blog canadense, através de informações oficiais de crime nos dois condados (obviamente ignorados pela Time). É uma demonstração dos resultados das duas maneiras de pensar o combate ao crime:


terça-feira, Novembro 23, 2010

Lula inaugura primeiro ponto de solda de Obra


Para um governo que só inaugura início de obra e nenhuma obra acabada isso já seria uma piada pronta, mas a manchete tem mais uma:

Lula dá início a obras de alcoolduto em São Paulo


Até onde vai esse alcoolduto, São Bernardo?

terça-feira, Outubro 26, 2010

Já ouvi coisa parecida

White House Takes Credit for Bush Jobs

Cada vez mais a política americana se parece com a brasileira. Pior pra eles.

Chávez anuncia expropriação de fabricante americana de garrafas

O presidente venezuelano Hugo Chávez anunciou nesta segunda-feira que expropriará a fábrica de recipientes de vidro americana Owens-Illinois Inc. Chávez criticou as práticas da empresa na Venezuela. "Ela está levando o dinheiro venezuelano e explorando a população" frisou o líder, sem dar mais detalhes de como a expropriação se dará.

Anotem: Vai começar a faltar garrafa na Venezuela. Pode ser que isso não seja facilmente percebido, já que como as nacionalizações atingem também os produtores que utilizariam as garrafas, não vai ter muita coisa para engarrafar mesmo.

terça-feira, Outubro 19, 2010

Pra que perder tempo?

Quando eu falei que os caras-de-pau sumiriam por um tempo, acuados pela vergonha de um erro que nenhum método estatístico sério permitiria, eu achava que esse tempo seria um pouco maior, mas eu estava em contradiçao e não percebi.

Como já dizia Ayn Rand: "contradições não existem, se você chegou a uma contradição reveja as suas premissas, ao menos uma delas está errada". Era fácil perceber, mas acho que a pressa atropelou a razão. Assumi como premissa a capacidade de sentir vergonha, e foi aí que errei: caras-de-pau não sentem vergonha.

quinta-feira, Outubro 07, 2010

Bom e ruim

Liberdade de imprensa não garante imprensa boa, diz ministro

O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Franklin Martins, defendeu nesta quinta-feira a postura do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para com a mídia e disse acreditar que "a liberdade de imprensa não garante que a imprensa seja boa", apenas livre.

Quem melhor do que o governo para definir o que é bom e o que é ruim? Depois de definido - sempre com a 'participação da sociedade', representada pelas ONGGs - o que é bom, nada mais natural do que proibir o ruim. Afinal quem poderia defender o ruim?

segunda-feira, Outubro 04, 2010

Os vigaristas e os incompetentes

Os caras-de-pau vão sumir por algum tempo, para depois voltar como se nada tivesse acontecido anunciando suas pesquisas como sérias e absolutamente científicas. Os incompetentes vão tentar se justificar, em vão. Eu sinceramente acredito que alguns institutos são realmente sérios e erraram não porque são vigaristas, foram simplesmente incompetentes e não souberam apurar seu método. Que alguns são vigaristas a soldo não há mais como negar, nem preciso citar nomes, todos sabem quem são.

Tenho uma teoria para a discrepância entre as pesquisas que tentaram ser sérias e a realidade. Minha teoria se divide em duas partes, uma geral - que valeria para qualquer pesquisa - e uma específica para esta eleição:

1 - Pode existir um viés que diferencia as pessoas que estão dispostas a responder pesquisas e as que não estão. As pessoas mais propensas a participar de pesquisas seriam as mais convictas da sua escolha naquele assunto. A convicção não é sempre fruto da razão, a emoção também convence. Independente de como a pesquisa seja feita não há como obrigar alguém a respondê-la, na rua o pesquisador pode ser ignorado, o telefone pode ser desligado e assim por diante. Quem não quer responder não responde.

2 - A maioria das pessoas que vota em Dilma Rousseff está convicta da sua escolha. Já os que votam em José Serra o fazem muitas vezes (estou nesse grupo) por falta de opção. Arriscaria dizer que esse grupo pode ser o maior entre os eleitores de Serra. Esse grupo reconhece que entre as opções colocadas esta é a melhor, mas não sentem orgulho dessa escolha, não é o que realmente queriam, quem sabe sintam até um pouco de vergonha e por isso têm uma tendência menor a aceitar participar de pesquisas.

As pesquisas teriam como fugir disso? Acho que não.

Estatística exata

Já temos uma boa estimativa do número de idiotas em SP: 1.353.820

segunda-feira, Agosto 02, 2010

O bom ladrão

Se um ladrão rouba uma carteira e um celular, mas devolve a carteira, ele está sendo bonzinho? Merece aplausos e admiração da vítima? É claro que não. Isso é o que faz o governo quando anuncia uma 'redução de impostos', tratada frequentemente como 'incentivo'.

A redução de IPI durante a crise foi anunciada com grande alarde e, previsivelmente, funcionou. Como ela, reduções direcionadas são sempre anunciadas para áreas específicas, e sua eficiência é sempre diretamente proporcional ao tamanho do corte. O que falta para entenderem que reduzir impostos é sempre bom?

Pode se reduzir a zero? Não. Os impostos são um mal necessário para financiar áreas específicas onde a iniciativa privada não consegue suprir determinadas necessidades. Essas áreas não são muitas, o mal necessário poderia ser muito ou menor, mas quando se pode lucrar criando dificuldades no atacado e vendendo facilidades no varejo fica difícil...

quinta-feira, Julho 29, 2010

A má privatização

Lula diz que "Oi continuará a ser empresa brasileira da Silva"

Que Lula (ou Da Silva, como é conhecido em países que costumam chamar pelo sobrenome) e o PT costumam confundir os bens públicos com propriedade sua é conhecido. Agora já estão virando bens de familia.

terça-feira, Julho 27, 2010

Agronegócio, o latifúndio produtivo

MST diz que Serra representa interesses do "latifúndio improdutivo e do agronegócio"

A produtividade nunca foi critério para o MST. Antigamente eram contra o latifúndio per se, agora perceberam que essa causa é impopular. Provavelmente devido aos benefícios gerados pelos grandes produtores rurais para a população, principalmente os mais pobres que podem comprar comida a um preço mais baixo, além de gerarem empregos e serem responsáveis pelo equilíbrio da balança econômica.

Passaram a combater os latifúndios improdutivos, tentando associar uma negação à palavra que não conseguiram demonizar. Não que o objeto do ódio tivesse mudado, todos os latifúndios são improdutivos para o MST - a produção de alimentos não interessa, apenas a ideológica - o adjetivo é redundante. Isso fica claro nessa escolha de palavras, numa tentativa de usar palavras carregadas emocionalmente (essa carga foi construída com a ajuda dos jornalistas engajados) escolhe o já demonizado 'agronegócio' como complemento para o 'latifúndio improdutivo'. Ora, o que é o agronegócio senão o latifúndio produtivo?

Teatro Macabro

Lula recebe emissário de Chávez para tratar de crise Venezuela-Colômbia

ou numa manchete justa e imparcial:

Foro de São Paulo se reune para decidir como tentar desmoralizar a Colômbia

quinta-feira, Julho 22, 2010

Argumentum Sperniandi

É curiosa a semelhança da estratégia adoatda tanto pelo PT quanto por Hugo Chávez frente a acusações similares de ligações com as FARC: esperneiam mas não negam.

O PT processa, xinga e bate o pé; Chávez convoca embaixador, corta relações, acusa e faz biquinho. Nenhum deles nega as acusações em momento algum.

Negar o que é evidente e comprovado seria de um cinísmo monumental, mas dentro do que se espera dessa gente. Nem isso eles acharam que seria necessário, limitam-se a fazer pirraça.

terça-feira, Julho 20, 2010

Meio cheio implica em meio vazio

A meia verdade implica em meia mentira. Clovis Rossi na Folha Online hoje tenta minimizar as conhecidíssimas e gravíssimas acusações de relacionamento entre o PT e as FARC no artigo 'PT, Farc, meia verdade e ambigüidade'. A meia mentira seria o deslocamento temporal: apesar de possuir laços no passado com as FARC, o PT já não mais os teria.

Não existem motivos para acreditar que as relações entre os petistas e as FARC algum dia limitaram-se Foro de São Paulo. Este era uma frente de ação, não há porque assumir que companheiros em uma empreitada não o possam ser em outras.

Mesmo assumindo hipoteticamente que esse era realmente o único foro em que os dois sentavam à mesa para fumar charutos e conversar sobre espécies de flores, até que ponto o anúncio da saída 'voluntária' das FARC do Foro pode ser considerado um corte no relacionamento entre as FARC e não só o PT como todos os outros partidos que compõem o Foro? Nada indica isso, muito antes pelo contrário.

A assinatura de Dilma Rousseff no pedido de transferência para Brasília, em um 'cargo de confiança' da mulher do 'embaixador das FARC no Brasil' Olivério Medina é a prova mais gritante da continuidade desse affair entre os terroristas do passado e do presente.

Os nomes de vários petistas contidos no computador de Raul Reyes, a presença do mesmo no Equador, a proteção concedida as FARC em território venezuelano chegam a ser provas desnecessárias perto de um documento assinado.

A meia mentira que não existe de um lado é uma mentira inteira do outro.

O partido dos ricos trabalha para que todos fiquem mais ricos, aumentando sua influência, enquanto o partido dos pobres...

Obama recentemente afirmou que o Partido Republicano seria o "partido dos ricos".

Glenn Reynolds, com lógica impecável, acerta na mosca:

OBAMA CASTS REPUBLICANS AS PARTY OF THE RICH. Yeah, stupid fatcat Republicans — and to maintain their majority, they’re just going to go on making more and more rich people until the country’s completely under their thumb. Meanwhile the Democrats are the party of the poor, man, and — uh, can we get rewrite on this?

segunda-feira, Junho 28, 2010

Land of the Free

Suprema Corte impede que estados limitem posse de armas nos EUA

A Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu que os Estados federados não poderão limitar ou proibir a posse de pistolas e revólveres, como garante a segunda emenda da Constituição, em uma histórica decisão nesta segunda-feira (28).

segunda-feira, Junho 07, 2010

We Con the World

sábado, Junho 05, 2010

Com a pontuação ele já tinha que ter perdido a carteira, não?

Lula é multado pela 5ª vez por campanha antecipada

O ministro Henrique Neves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), multou hoje em R$ 7,5 mil o presidente Luiz Inácio Lula da Silva depois de concluir que ele fez propaganda eleitoral antecipada durante um evento da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em homenagem ao Dia do Trabalho. Essa é a quinta vez que Lula é multado pelo TSE por ter promovido a candidatura de Dilma Rousseff ao Palácio do Planalto antes do permitido. Pela legislação eleitoral a campanha começa apenas em julho.

quarta-feira, Junho 02, 2010

'The Euro Zone Has Failed'

Artigo de Václav Klaus, presidente da República Tcheca, país da melhor cerveja pilsen do mundo (o fato de te-la inventado tem seu peso). O artigo inteiro vale muito a pena, mas deixo um gostinho:

Economic growth in Europe has been slowing down since the 1960s, thanks to the increasingly damaging economic and social system which started dominating Europe at that time. The European "soziale Marktwirtschaft" is an unproductive variant of a welfare state, of state paternalism, of "leisure" society, of high taxes and low motivation to work. The existence of the euro has not reversed that trend.
[...]
The huge amount of money that Greece will receive can be divided by the number of the euro-zone inhabitants, and each person can calculate his or her own "contribution." However, the "opportunity" costs arising from the loss of a potentially higher growth rate, which is much more difficult for a non-economist to imagine, will be far more painful. I do not doubt that for political reasons this price will be paid and that the euro-zone inhabitants will never find out just how much the euro truly cost them.