terça-feira, novembro 13, 2007

A palavra do PT não vale nada. O Molusco acha, e não esconde, que o Estado gasta pouco. Já falou isso com todas as letras. A única maneira de reduzir a carga tributária é reduzindo a despesa do Estado. Sendo assim qualquer promessa de redução da alíquota ou de outros impostos não vai passar disso: uma promessa que nunca será cumprida. E olha que estão prometendo muito pouco.

A desculpa que virá depois não tem importância. Podem dizer que um novo programa 'social' vai exigir mais recursos e eles, benevolentes como só, vão ‘abdicar’ de algum novo imposto que teria de ser criado, ou então poderão dizer que devido à mudança do cenário econômico mundial (afinal uma crise é questão de tempo) não poderão mais cumprir a promessa. Uma coisa eu tenho certeza: promessa de petista vale menos que um pum.

2 comentários:

José Linhares disse...

Comentário pertinente.
Pena que ainda existem pesoas que acreditam neles, não é?

www.joselinhares.blog.com

dl disse...

Pesquisei e está provado aqui, pode verificar:

A PSIQUIATRIA EXPLICA A ESQUERDOPATIA:

http://virtualpsy.locaweb.com.br...?art=149& sec=91

Os traços da personalidade moral do psicopata (anti-social ou sociopática) seriam:

Amoralidade. São insensíveis moralmente, faltando-lhes o juízo e o sentimento morais e a mínima noção de ética.

O psicopata é, sobretudo, uma pessoa c aversão, descaso e oposição aos valores éticos e às normas de convívio gregário.

O psicopata, por sua vez, superdimensiona suas prerrogativas, possibilidades e imunidades; "esta vez não vão me pegar".

O psicopata não apenas transgride as normas mas as ignora, considera-as obstáculo q devem ser superados na conquista de suas ambições.

P o psicopata, a mentira é uma ferramenta de trabalho. Ele desvirtua a verdade c objetivo de conseguir algo p si, p evitar um castigo, p conseguir uma recompensa, p enganar o outro.

A particular relação do psicopata c outros seres humanos se dá sempre dentro das alterações da ética. P o psicopata, o outro é “uma coisa”, mais uma ferramenta de trabalho, um objeto de manipulação.

A personalidade psicopática faz c q os indivíduos atuem sociopaticamente p satisfazer suas necessidades. P tal, eles podem se valer da extrema sedução, de especial sensibilidade p captar as necessidades e sensibilidades do outro e manipulá-los como melhor aprouver, de mentiras e todo tipo de recursos independentemente do aspecto ético.

As crises dos psicopatas são produzidos p frustrações e fracassos e eles colocam sempre a responsabilidade de seu fracasso no outro ou em elementos externos e alheios à sua responsabilidade.

Conduta normal. É sua parte teatralmente adaptada ao padrão de comportamento normal e desejável. Assim agindo o sistema não o percebe e pode até atribuir-lhe adjetivos elogiosos. Como diz o ditado, “o maior mérito do demônio é convencer a todos q ele não existe”.

Conduta psicopática - É a inevitável manifestação de suas condutas psicopáticas, as quais, mais cedo ou mais tarde, obrigatoriamente se farão sentir. Entretanto, c o psicopata costuma ser intelectualmente privilegiado, ele não exerce sua psicopatia indistintamente c todos e todo o tempo. Ele elege sabiamente determinadas pessoas, vítimas ou circunstâncias.

Personalidade Anti-Social - O quadro mais grave onde a mentira aparece c sintoma importante é o Transtorno Anti-Social da Personalidade, ou Personalidade Psicopática. O psicopata utiliza a mentira como sua ferramenta de trabalho. Normalmente está tão treinado e habilitado a mentir q é difícil captar qdo mente. Ele mente olhando nos olhos e com atitude completamente neutra e relaxada.

O psicopata sabe q está mentindo, não se importa, não tem vergonha ou arrependimento.

Normalmente o psicopata diz o q convém e o q se espera p aquela circunstância. Ele pode mentir c a palavra ou c o corpo, quando simula e teatraliza situações vantajosas p ele, podendo fazer-se arrependido, ofendido, magoado.